Olho D'água do Borges/RN -

Cunha tem até 30 dias para deixar residência oficial


Afastado do mandato de deputado federal e da presidência da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tem até 30 dias para deixar a residência oficial da presidência.

A decisão segue o que vale para qualquer deputado que se afasta do mandato por nomeação para cargos no executivo, por exemplo.
Não há decisão sobre se o suplente será convocado a assumir o mandato.

Os funcionários do gabinete de Cunha devem ser exonerados imediatamente. Já os da presidência da Câmara terão o destino decidido pelo vice que assume, José Maranhão (PP-MA).

Por Lauro Jardim

Por 11 votos a zero, STF vota pelo afastamento do mandato de Eduardo Cunha

O deputado Eduardo Cunha assiste pela televisão, à sessão do STF que já obteve maioria de votos pelo afastamento da presidência da Câmara e do mandato.

Cunha assiste à votação ao lado da mulher, Cláudia Cruz.


Confirmaram o afastamento de Cunha, além do relator da Lava Jato Teori Zavascki, os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e e Ricardo Lewandowski.


Cerveró envolve Henrique Alves em suposto esquema de propina

Reportagem do jornal O GLOBO, edição desta quinta-feira (5), revela trecho da delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, que envolve o ex-deputado federalHenrique Alves (PMDB-RN) na Operação Lava Jato.

Segundo a matéria, Cerveró revelou que Henrique, quando era presidente da Câmara dos Deputado, e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pressionaram a presidência da BR Distribuidora para que a estatal comprasse a refinaria de Manguinhos, no Rio, com propósito de receberem propina.

Cerveró reproduziu num dos depoimentos da delação o que teria ouvido do então presidente da BR Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, numa reunião em 2013:

“José Lima, em uma das reuniões informais da diretoria, na qual estavam presentes todos os diretores, disse que tinha sido procurado pela segunda vez pelos deputados Eduardo Cunha e Henrique Alves, que estiveram na BR Distribuidora intervindo para que a estatal comprasse a refinaria de Manguinhos.”

A mesma pressão também teria sido feita, por telefone, pelo então ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB-MA), conforme Cerveró disse ter ouvido de José Lima.

O ex-diretor da Petrobras relatou a existência de “algum negócio” entre Cunha e Alves e “um grupo ligado a Marcelo Sereno, que tinha ligação com (o ex-ministro da Casa Civil) José Dirceu”. “Eles queriam resolver por intermédio da Petrobras”, cita a delação.

Henrique Alves foi ministro do Turismo do governo Dilma (PT) e está cotado para assumir um ministério do eventual governo de Michel Temer (PMDB).

Leia a reportagem completa AQUI 


Teori: Cunha cobrou insistentemente doações da OAS para a campanha de Henrique Alves


Na decisão que afastou liminarmente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato e da Presidência da Câmara dos Deputados, o ministro do STF Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato, citou transações que envolvem o ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB-RN).

Henrique Alves é citado nas páginas 39 e 41 do documento. Na primeira das citações, ele aparece como beneficiário de propina, disfarçada de doações de campanha, repassada pelo ex-presidente da empreiteira OAS, Leo Pinheiro, a pedido de Eduardo Cunha.

O ministro Teori Zavascki relata que, numa das conversas interceptadas entre Eduardo Cunha e Leo Pinheiro, o peemedebista cobra “insistentemente a realização de doações” ao seu correligionário Henrique Alves, que estava no segundo turno da eleição no RN em 2014. Diante da resposta de Leo Pinheiro dizendo que “estava complicado”, Eduardo Cunha determinou que ele deveria “encontrar uma solução” para atender Henrique.

“Já na segunda citação, Henrique Alves aparece como um dos integrantes da “turma” de Eduardo Cunha, que deveria ser atendido com as doações do ex-presidente da OAS. As mensagens foram extraídas do celular de Leo Pinheiro, preso no âmbito da Lava Jato”. Ainda segundo o ministro Teori Zavascki, Henrique Alves participou de reuniões com Eduardo Cunha e Leo Pinheiro em que foram tratados “temas do interesse da OAS”.

Fonte: Agora RN


MP prorroga prazo de inscrição no Cadastro Ambiental Rural até maio de 2017


O governo enviou ao Congresso Nacional, nesta quinta-feira (5), a Medida Provisória (MP) 724/16, que prorroga até 5 de maio de 2017 o prazo para os pequenos produtores rurais e agricultores familiares se inscreverem no Cadastro Ambiental Rural(CAR) e aderirem ao Programa de Regularização Ambiental (PRA). A MP 724 beneficia proprietários de imóveis com até quatro módulos fiscais, ou seja, propriedade de até 110 hectares.

Ontem  era o último dia de inscrição no CAR, uma exigência do Novo Código Florestal (Lei 12.651/12).

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, os pequenos produtores são os que têm mais dificuldades em fazer o cadastramento. Segundo a pasta, a prorrogação prevista na MP 724 assegurará a mais de um milhão de proprietários e posseiros os benefícios previstos no Código Florestal.


Campanha contra febre aftosa segue até 31 de maio em todo o RN

O Governo do Estado, por meio do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn), deu início à primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa em todo o Rio Grande do Norte. Os produtores devem se dirigir a uma revenda credenciada pelo Idiarn e Ministério da Agricultura, adquirir a vacina, imunizar o rebanho e efetuar a declaração junto ao Instituto, escritório da Emater/RN ou secretarias de Agricultura de seu município. A primeira etapa da campanha segue até o dia 31 de maio em todo o estado.

A expectativa do diretor geral do Idiarn, Camillo Collier, é vacinar 95% do rebanho potiguar, índice 3% maior do que o conquistado na primeira etapa de 2015 e 4,5% maior do que o alcançado em novembro do ano passado, quando foi realizada a segunda fase. Depois de imunizado o rebanho, o produtor precisa declarar a vacina, o que pode ser feito até o dia 15 de junho nos escritórios do Idiarn, Emater/RN ou secretarias municipais de Agricultura.

Segundo o diretor de defesa e inspeção sanitária animal do Idiarn, Renato Dias Maia, a vacinação é importante porque mantém o Rio Grande do Norte com o status livre da febre aftosa com vacinação. “Além da garantia de um rebanho saudável para o produtor, a imunização dá a ele a possibilidade de transportar seus animais para todo o Brasil”, destaca.

O produtor que não vacinar seu rebanho fica inadimplente com o Idiarn e corre o risco de ser multado, além de perder o acesso às linhas de crédito das instituições financeiras e benefícios concedidos pelo Governo do Estado. De acordo com o Instituto, o rebanho bovino do Rio Grande do Norte hoje está em 955 mil cabeças.


O PLAYBOY DANÇOU: Teori afasta Eduardo Cunha da Presidência e do mandato na Câmara

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki determinou nesta quinta-feira (5) o afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato de deputado federal.

Relator da Lava Jato, o ministro concedeu uma liminar em um pedido de afastamento feito pela Procuradoria-Geral da República. e apontou 11 situações que comprovariam o uso do cargo pelo deputado para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações”. Na peça, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a classificar o peemedebista de “delinquente”.

O peemedebista foi transformado em réu no STF, por unanimidade, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro sob a acusação de integrar o esquema de corrupção da Petrobras, tendo recebido neste caso US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da estatal.

Na Lava Jato, o deputado é alvo de outra denúncia, de mais três inquéritos na Corte e de outros três pedidos de inquéritos que ainda aguardam autorização de Teori para serem abertos. As investigações apuram o recebimento de propina da Petrobras e o uso do mandato para supostas práticas criminosas.

“Ante o exposto, defiro a medida requerida, determinando a suspensão, pelo requerido, Eduardo Cosentino da Cunha, do exercício do mandato de deputado federal e, por consequência, da função de Presidente da Câmara dos Deputados”, diz trecho da decisão.

Cunha será substituído por outro investigado na Lava Jato, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA).

Fonte: A Folha




Crise no Brasil está só começando

O jornalista Ricardo Kotscho alertou nesta quarta-feira, 4, que não deverá haver trégua na crise política e econômica do País, caso o Senado aprove o afastamento da presidente Dilma Rousseff no Senado. “As dificuldades de Michel Temer para montar um ministério minimamente respeitável e a disposição de Dilma e do PT de resistir até o fim dos 180 dias previstos para o julgamento final no Senado indicam que teremos dias ainda mais conflituosos e imprevisíveis daqui para a frente”, prevê Kotscho.

Olho D’água do Borges está entre os Municípios do RN que acumulam dívida de R$ 147 milhões em precatórios.

A Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do RN divulgou a relação de entes devedores de precatórios, atualizada até o mês de abril. A lista (Veja AQUI ) traz um detalhamento referente as dívidas do Estado, municípios e demais entes, relacionadas ao atual exercício e à dívida acumulada nos exercícios anteriores. Atualmente, são 91 municípios com pendências, totalizando um passivo de R$ 147.077.521,39. 

Segundo o juiz Bruno Lacerda, chefe da Divisão de Precatórios, 52 municípios estão em atraso para com o pagamento de suas obrigações e estão sendo cobrados, havendo procedimento de bloqueio e sequestro de valores para regularizar a inadimplência. 

Entre as maiores dívidas com precatórios, o Governo do Estado tem uma dívida total de R$ 386,6 milhões, enquanto o município de Natal acumula um passivo de R$ 89,7 milhões. Na administração indireta, o Idema tem uma dívida de R$ 24,7 milhões. 


Prefeituras 
As dez prefeituras com maiores débitos em precatórios no RN respondem por um montante de R$ 131 milhões - em janeiro esse valor era de R$ 137 milhões. São elas: Natal, com R$ 89,7 milhões; João Câmara, que soma R$ 15,7 milhões; Santa Cruz, corresponde a R$ 8,6 milhões; Caicó, com R$ 7,1 milhões; Parnamirim, cujo valor é de R$ 2,18 milhões e Jandaíra, com R$ 2,14 milhões. 

A lista dos maiores devedores continua com Pau dos Ferros, que totaliza R$ 1,9 milhão; Mossoró, cuja dívida é de R$ 1,5 milhão; Rui Barbosa, que soma R$ 1,4 milhão; e Assú, com valor de R$ 974 mil.

STF julgará afastamento de Cunha da Câmara dos Deputados nesta quinta


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, agendou para a sessão desta quinta-feira (5) o julgamento do pedido da Rede para afastar o presidente da Câmara dos Deputados,  Eduardo Cunha (PMDB-RJ), da função.

A ação, que está sob relatoria do ministro Marco Aurélio Mello, argumenta que, em razão de ser réu em ação penal da Operação Lava Jato, o peemedebista não pode estar na linha sucessória à Presidência da República.

A Rede quer que o Supremo determine que é inconstitucional pessoas que sejam réus em ações penais admitidas pela própria Corte estarem na linha de sucessão do presidente da República.

A medida não atingiria o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que, apesar de investigado na Lava Jato e denunciado em outro caso, ainda não é considerado réu num processo penal.

Se a presidente Dilma Rousseff for afastada do Executivo no processo de impeachment, o vice-presidente Michel Temer assume a Presidência. Com isso, Eduardo Cunha, passaria a ser o primeiro na linha de sucessão, e Renan Calheiros, o segundo.

Com informações do G1


Temer é “ficha-suja” e estaria inelegível por oito anos, diz jornal


Condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) por doações de campanha que estariam acima do limite legal, o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) estaria inelegível pelos próximos oito anos, contados a partir da última terça-feira. Segundo o blog do Fausto Macedo, do jornal O Estado de S. Paulo, a Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP) entende que condenações iguais à de Temer podem ser enquadradas na Lei Ficha Limpa, que prevê a inelegibilidade de políticos condenados por órgãos colegiados.
“A Lei da Ficha Limpa estabelece, no seu artigo 1º, I, alínea p, a inelegibilidade de candidatos como consequência da condenação em ação de doação acima do limite proferida por órgão colegiado ou transitada em julgado”, diz nota emitida pela PRE-SP no início da noite desta quarta-feira (04).

Mossoró Cidade Junina 2016 tem licitação sob suspeita, é adiada e vira caso de polícia


O pregão presencial do Mossoró Cidade Junina 2016 virou caso de polícia. Proprietários de empresas que se sentem prejudicadas estão denunciando suposta falsificação de documentos da empresa Garra Eventos. A queixa foi encaminhada a uma Delegacia da cidade.

A licitação, na modalidade pregão, deveria ter sido concluída na manhã desta terça-feira (3), mas devido aos pontos suspeitos, foi transferida para nova data, possivelmente na próxima semana.

O problema se arrasta há pelo menos duas semanas, com a Prefeitura de Mossoró adiando o certame licitatório. O Cidade Junina 2016 deve ser aberto no primeiro sábado de junho, 6, com o “Pingo da Mei Dia”, ou seja, daqui a um mês.

O confronto de hoje começou quando a Sampaio Eventos, que apresentou a melhor proposta, foi desabilitada por não ter o atestado de captação de recursos, exigido na proposta técnica. Daí, a segunda colocada, Garra Eventos, seria a vitoriosa. Só que as empresas que foram eliminadas denunciaram que a Garra havia apresentado atestado de captação de recursos falsificado.


Henrique Eduardo Alves foi citado no inquérito-mãe da Lava Jato


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal, no dia 28 de abril, a inclusão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dos ministros Jaques Wagner, Edinho Silva, e Ricardo Berzoini, e de outros 26 nomes no inquérito-mãe da Operação Lava Jato perante à Corte. O ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, está entre os denunciados.

Além deles, são citados no pedido os senadores Jader Barbalho (PMDB-PA) e Delcídio Amaral (ex-PT-MS), e os deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Eduardo da Fonte (PP-PE), Aguinaldo Ribeiro, André Moura, Arnaldo Faria de Sá, Altineu Cortês e Manoel Junior. 

Também constam o assessor da Presidência, Giles de Azevedo, a ex-ministra Erenice Guerra, o ex-ministro Antonio Palocci, o pecuarista José Carlos Bumlai, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o banqueiro André Esteves, o ex-ministro Silas Rondeau, o empresário Milton Lyra, o lobista Jorge Luz, o ex-presidente da Transpetro Sergio Machado, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, o doleiro Lucio Bolonha Funaro, Alexandre Santos, Carlos Willian, João Magalhães, Nelson Bornier e a ex-deputada Solange Almeida, aliada de Eduardo Cunha.

Henrique e Cunha
A investigação da PGR, que está oculta e sigilosa no Supremo Tribunal Federal, tem como base as trocas de mensagens apreendidas no celular do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro. Nas mensagens, Cunha faz diversas cobranças a Pinheiro por repasses à campanha de Henrique ao governo do Rio Grande do Norte.

O procurador-geral da República Rodrigo Janot suspeita que os pagamentos da OAS fossem propina disfarçada de doação oficial para que os parlamentares atuassem em favor dos interesses da empresa no Legislativo.

Sobre a relação entre os dois peemedebistas, Léo Pinheiro chega a escrever em uma mensagem que "Eduardo Cunha é o grande articulador de Henrique Alves".

Em nota, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves disse que não recebeu qualquer intimação e desconhece qualquer processo. "Não recebi intimação, portanto, desconheço qualquer processo. Acredito nas instituições, especialmente no trabalho do Ministério Público Federal.  E em sendo verdade, será uma ótima oportunidade para esclarecer possíveis equívocos. De qualquer maneira saliento que todas as minhas doações foram registradas no Tribunal Eleitoral e todos anseios do meu Estado foram tratados de forma institucional com absoluto zelo à coisa pública e à ética na política", disse Henrique.


Cláudia Santa Rosa aponta falta de planejamento na Secretaria de Educação


A nova secretária estadual de Educação, Cláudia Santa Rosa, afirmou nesta terça-feira (3), após o ato de posse, que o principal problema de sua pasta é a falta de planejamento. Apesar da crítica, ela evitou nominar responsáveis.

“Pelos primeiros contatos, constatei uma coisa: há recursos para realizar as ações, o que não há é planejamento. O fluxo é travado pela falta de planejamento”, criticou Santa Rosa.

Para ilustrar sua fala, ela citou uma compra com a qual se deparou: “Hoje, 30 escolas precisam de bebedouros. Aí fizeram a licitação e a compra demora. Demora tanto que outras escolas logo precisarão de bebedouro. Então, não se pensa nisso. Não se faz a projeção para o futuro. Não se antecipa os problemas”, explicou a professora.

Ela indicou à reportagem do portalnoar.com que aguarda relatório de seu antecessor sobre as políticas de educação que vinham sendo executadas. Segundo ainda antecipou, o governador Robinson Faria teria lhe pedido que focasse nos projetos contemplados em seu plano de governo.

Já com a categoria que vai administrar, especialmente com o sindicato dos professores (Sinte), Cláudia espera diálogo. Até o momento, o governador Robinson Faria se viu livre das greves porque o Sinte é controlado pelo PT, que não faz mais parte da gestão. Indagada se está preparada para lidar com as pressões que estão por vir do sindicato, Santa Rosa recorreu ao diálogo.

“Pretendo estabelecer o diálogo. Sou da rede há 26 anos. Sempre pautei meu discurso em fazer a escola onde eu estou funcionar e mostrar resultado. O sindicato, por vezes, talvez não compreenda algumas medidas. Estando secretária, vou procurar estabelecer o diálogo com meus colegas do sindicato”, comentou a secretária de Educação.


Novo titular da Sejuc diz que vai mandar concretar chão da Alcaçuz

O portal de notícias G1-Natal falou com o novo secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, delegado da Polícia Civil da Paraíba Walber Virgolino da Silva Ferreira. E deu para sentir que o paraibano é linha dura.

“Temos que mexer com esses presos. Puni-los administrativamente. Suspender visitas íntimas. Vou quebrar a zona de conforto dos presos”, disse, antecipando como vai agir para solucionar o caos no sistema prisional do RN.

A tarefa não é fácil. O sistema vive a pior crise de sua história, com motins, fugas e mortes. Para se ter ideia, só no primeiro trimestre deste ano, mais de 160 detentos conseguiram fugir. E mais de uma dezena de assassinatos foram registrados dentro dos presídios.

Virgolino Ferreira considera possível estancar esse processo. Segundo ele, as fugas aconteceu por “falta de fiscalização e comprometimento.” Por isso, defende a “mudança de mentalidade e adoção de procedimentos de rotina somados a punição de presos e agentes”, afirmou.

O novo secretário do Sejuc adiantou a primeira medida que ele adotará quando assumir a pasta: “Vamos determinar que um trator, do tipo escavadeira, passe ao redor de Alcaçuz para que eventuais túneis sejam descobertos e destruídos. Tem que passar um trator em volta dos pavilhões que os túneis apareceram. Concretar o chão das celas. Transferir presos como forma de punir pra ficarem longe da família, etc”.


Janot diz ao STF que Cunha é ‘líder de célula criminosa’ que atuou em Furnas


Do procurador geral da República, Rodrigo Janot, no pedido ao STF para abertura de um novo inquérito para investigar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, na Lava Jato:


“Pode-se afirmar que a investigação cuja instauração ora se requer tem como objetivo preponderante obter provas relacionadas a uma das células que integra uma grande organização criminosa – especificamente no que toca a possíveis ilícitos praticados no âmbito da empresa Furnas. Essa célula tem como um dos seus líderes o presidente da Câmara dos Deputado Eduardo Cunha”, justificou Janot.

“Sabemos que essa organização criminosa é complexa e que, tudo indica, operou durante muitos anos e por meio de variados esquemas estabelecidos dentro da Petrobras e da própria Câmara dos Deputados, entre outros órgãos públicos. Embora estes “esquemas” tenham alguma variação entre si, é certo que eles coexistem e funcionam dentro de um conserto maior”, completou.

Governo do Estado repassa R$ 1,1 milhão para o Hospital Regional Tarcísio Maia


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde Pública (SESAP) efetuou repasse no valor de aproximadamente R$ 1,1 milhão para o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), valor que será utilizado para quitar débitos em aberto com as cooperativas médicas que prestam serviço à unidade, referentes a janeiro.

A informação foi confirmada pelo diretor do HRTM, Jarbas Mariano. Com o repasse, as cooperativas de anestesiologistas, clínicos gerais, ortopedistas e cirurgiões deverão retomar o atendimento, que havia sido paralisado no Hospital.

Com o valor liberado pelo Governo, serão quitados os débitos do mês de janeiro, que totalizam R$ 876 mil, e ainda parte das dívidas do mês de fevereiro.

De acordo com Jarbas Mariano, o atraso se deu em virtude de questões burocráticas, como a abertura do Orçamento do Estado, bem como o processo de transição na SESAP, com a substituição do secretário e coordenadores.

A direção do HRTM já está contatando as cooperativas para que os médicos retornem ao trabalho o quanto antes e já solicitou também as notas da prestação de serviços dos meses de fevereiro, março e abril, para que, logo após o repasse feito pelo Governo, o pagamento seja agilizado.


Prazo para fazer título de eleitor acaba nesta quarta no RN

Termina hoje(4) o prazo para os cidadãos requisitarem título de eleitor a tempo de votar nas eleições municipais de outubro. O prazo também vale para transferência de domicílio eleitoral, mudança de local de votação e pedidos de seções especiais para eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida.

Para realizar qualquer uma dessas ações é preciso procurar o cartório eleitoral da cidade. No Rio Grande do Norte, os 167 municípios vão às urnas em outubro para eleger prefeitos e vereadores. Veja aqui os telefones, dos cartórios do Tribunal Regional Eleitoral do RN.

Os cartórios eleitorais da capital e do interior funcionam das 8 às 14 horas.



Campo de futebol de Olho D’água do Borges vira elefante branco

Quem passa na frente do Estadio Caiçarão pensa que está tudo perfeito

Olho D’água do Borges está mesmo consolidada como a cidade que não tem mais prática de futebol, esporte que consagrou o município como pioneiro na região à décadas passadas, mas infelizmente, a mais de dez anos essa atividade esportiva foi extirpada pelas duas ultimas gestões.

Mas, na parte interna é completo estado de abandono

Infelizmente as  ultimas gestões do municipio ignoraram completamente a necessidade de se fazer por aqui investimento no esporte, uma atividade saudável e  de inclusão social.

Ressalte-se que já foram  firmados três convênios com o governo federal sob  os números 642092 735938, 770057, que somam R$ 642.000,00, para a reforma do Estádio Caiçarão e  obra continua inacabada como se pode ver nas imagens. Voce pode comprovar esses convenios no portal da transparecia da CGU.

Mato tomou de conta e vergalhões de ferro mostra
que a obra anida não foi concluída

Nossos jovens de 20 anos de idade não sabem o que é jogar futebol de campo, se quiserem jogar uma pelada tem que se deslocar para um mini-campo cedido pelo amigo Valcides, que fica ao lado da cerâmica.


Onde deveria ser uma praça de esporte pode ser
comparada a um campo  de pastagem

Responsabilizar a seca como motivo para não  abertura do estadio para a pratica do esporte é uma justificativa sem nexo, pois naquela época, jogávamos no barro duro, fomos campeões da Copa Oeste e campeonatos regionais, fizemos apresentações no Estadio Nogueirão em Mossoro e no Castelão em Natal, e todos os domingos o estádio lotava para ver Vasco e São Paulo jogar no Estadio Caiçarão, mesmo sem grama.


Se não tem água para aguar a grama, joga no barro duro, todos vão entender. Se estar seco em Olho D’água, nas outras cidades também está. Uma prova será agora em maio, na cidade de Rafael Godeiro, com o campeonato Rosa de Maio. Lá também está seco e mesmo assim jogam no campo de barro. 



Com grama ou sem grama, vamos abri o campo  e dar incentivos para o esporte,  nossos jovens, e a população  vão ficar felizes.


Se formos aguardar a conclusão do esgotamento sanitario para aguar a grama do nossos campo, com a água do reuso, como disse o prefeito,  tenho a certeza que vamos continuar esperando por  mais um bom tempo para a reabertura do nosso campo de futebol. Essa é a verdade, e o que está ocorrendo mesmo é falta de gestão e vontade politica.

Aqui daria para alimentar alguns animais famintos 




Procurador do TCU, Marcelo Oliveira desmonta tese de “pedaladas” e deixa oposição preocupada


O procurador do Tribunal de Contas da União (TCU), Marcelo de Oliveira, um dos responsáveis pela tese das “pedaladas” fiscais, abalou o principal argumento oposicionista que sustenta a trama golpista, travestida de impeachment. “Em relação à Caixa Econômica Federal, em 2015, não há registro de utilização da Caixa como cheque especial”, assegurou o procurador se valendo do gráfico: Resultado Primário Acumulado versus Soma dos Saldos Benefícios (Bolsa Família + Abono Salarial + Seguro Desemprego) para mostrar, ao conjunto de parlamentares da comissão especial que analisa o pedido de impedimento da presidenta Dilma Rousseff, que o governo só recorreu à CEF nos anos de 2013 e 2014.

“Não houve continuidade na prática”, reiterou o procurador do TCU – comprovando que o escopo da denúncia dos golpistas contém falhas graves que podem levar ao impedimento de uma presidenta que, com esse depoimento, revela não ter cometido práticas ilícitas na condução de seu governo ao utilizar recursos da Caixa Econômica.

Convocado como testemunha de acusação, Marcelo de Oliveira deixou a oposição em saia justa, desconfortável e preocupada ao ser questionado pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) se ele dispunha desse mesmo gráfico para o ano de 2015. Como resposta o acusador da presidenta Dilma deu a seguinte resposta: “Não. No final de 2014, o governo faz o pagamento da Caixa”.

“Mas e em 2015?”, insistiu Gleisi.

“Em 2015, o governo não deveu mais à Caixa. Isso são recursos utilizados em 2013 e 2014”, reafirmou o procurador Marcelo de Oliveira.

Já o senador Lindbergh Farias disse que essa declaração de um dos acusadores selecionados pela oposição golpista é importante porque mostra que as pretensas “pedaladas” fiscais evocadas por aqueles que perderam as eleições presidenciais de 2014, é referente a 2015 e não a 2014.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) se mostrou preocupado com o depoimento e, como forma de se defender, acusou os parlamentares que defendem a democracia e o Estado Democrático de Direito de tentarem “desestabilizar emocionalmente o expositor” que faz parte da equipe técnica que analisou e recomendou aos ministros do TCU a rejeição das contas de 2014 do governo Dilma.

Fonte: Benildes Rodrigues com Agências


 
Copyright © 2010-2013 Blog do Gilberto Dias | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento » RONNYdesing | ronnykliver@live.com - (84)9666-7179