Olho D'água do Borges/RN -

Governo do RN estuda abrir consórcios com prefeituras para regionalizar saúde

O governo do Rio Grande do Norte estuda criar sistema de consórcios de saúde pública junto às prefeituras potiguares. A iniciativa tem o objetivo de racionalizar recursos e garantir maior eficiência no atendimento à população.

As parcerias de âmbito regionais pretendem incluir também as instituições de ensino superior, em coordenação com a Fundação de Apoio à Pesquisa do RN (Fapern). “Vamos dialogar com as universidades, através do Fórum de Reitores, para aprofundar esse processo de regionalização da saúde. Também vamos incluir a Fapern neste diálogo”, destacou a governadora Fátima Bezerra.

Dentre as ações de curto prazo, a Sesap já iniciou as tratativas para a retomada das cirurgias eletivas em Mossoró, através de negociações com a prefeitura na próxima semana. A governadora determinou prioridade para resolver a questão e reiniciar as cirurgias que atendem a população da região Oeste Potiguar. “Estamos em um processo de racionalização dos recursos, trabalhando para melhorar o atendimento à população”, complementou o secretário Cipriano Maia.

O titular da Sesap ainda apresentou à governadora os encaminhamentos do processo para fechar o modelo de gestão do Hospital Central Coronel Pedro Germano, o Hospital da PM, em Natal. A unidade de saúde conta com 130 leitos, incluindo UTI adulto e neonatal, e um centro cirúrgico com sete salas de cirurgia. A programação de trabalho da Sesap aponta que ainda no 1º trimestre de 2019 o novo formato de gestão será pactuado e o hospital colocado em pleno funcionamento.

A reunião também contou com a participação dos secretários Raimundo Alves (Gabinete Civil), Aldemir Freire (Planejamento e Finanças) e Virgínia Ferreira (Administração e Recursos Humanos), além do deputado estadual Fernando Mineiro, que assumirá a Secretaria de Gestão de Projetos e Articulação Institucional a partir de fevereiro.

Rio Grande do Norte está entre os seis Estados que estão à beira do colapso, que juntos, somam um rombo superior a R$ 74 bi

Os Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso iniciam 2019 com um rombo conjunto de R$ 74,1 bilhões. O valor soma os déficits projetados para 2019 às despesas herdadas de gestões anteriores. Dos seis Estados, todos, com exceção de Goiás, tiveram calamidade financeira decretada neste mandato ou no anterior.

No Rio Grande do Norte, a calamidade financeira foi decretada logo após a posse, no dia 2 de janeiro, lembra o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier. “Foi um alerta à sociedade de que o Estado está falido”, diz ele. O rombo no Estado, explica Xavier, é de R$ 4,46 bilhões, valor que equivale a praticamente 40% da receita do Estado no ano passado.

Da insuficiência total, R$ 2,66 bilhões são passivos de gestões anteriores, principalmente débitos com fornecedores e pagamentos atrasados a servidores. O Estado ainda não conseguiu saldar parte do 13º relativo a 2017. O R$ 1,8 bilhão restante corresponde ao déficit orçamentário projetado para 2019.

Veja mais AQUI.


RN deve ter volume de chuva acima da média no 1º semestre de 2019, apontam meteorologista em encontro de Fortaleza

Os meses de fevereiro, março e abril devem ter volume de chuva acima da média para o trimestre na região do semiárido potiguar. A conclusão foi divulgada no fim da manhã desta sexta-feira, 18, durante o encerramento da Reunião Climática, realizada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Meteorologistas dos centros de previsão climática do Nordeste, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe) passaram dois dias reunidos discutindo as condições oceânicas e atmosféricas para os próximos meses e fazendo a análise dos parâmetros meteorológicos, de modo a fazer a previsão climática do próximo trimestre.

De acordo com Gilmar Bristot, meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), a análise dos campos atmosféricos e oceânicos de grande escala (vento em superfície e em altitude, pressão ao nível do mar, temperatura da superfície do mar, entre outros), além dos resultados de modelos numéricos globais/regionais indicam que o prognóstico climático para o período de fevereiro, março e abril de 2019 no Rio Grande do Norte é de chuva normal ou acima do normal.

As últimas análises mostram que no Oceano Pacífico equatorial, o Fenômeno El Niño continua atuando, mas com intensidade fraca e ocupando a faixa equatorial. A permanência dessa condição vem ocorrendo de acordo com os resultados dos modelos de previsão de anomalia de TSM, e projetam que essa condição permanecerá nos próximos meses.

Já o Oceano Atlântico vem apresentando aquecimento na faixa equatorial, desde o litoral do Nordeste Brasileiro até a costa do Continente Africano, resfriamento nas águas superficial no setor norte e aquecimento no setor sul. Essa mudança termodinâmica no comportamento do Oceano Atlântico favoreceu o deslocamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT-Principal Sistema meteorológico causador das chuvas no Norte do Nordeste no período de fevereiro a maio), para posições mais ao sul da Linha do Equador, o que já tem contribuído para a ocorrência de chuvas sobre a região Nordeste durante janeiro de 2019.

Situação bem clara aqui no Rio Grande do Norte, onde o monitoramento de chuvas realizado diariamente pela Emparn, já mostra que neste mês de janeiro, até esta sexta-feira, 18, já são 71 municípios com o volume acumulado que fica na média e acima da média para o mês. Lembrando que o mês de dezembro de 2018 foi o mais chuvoso dos últimos anos, e o ano de 2018 foi também foi o mais chuvoso dos últimos sete, quando houve 6 anos seguidos de seca.

Novos trechos de relatório do Coaf aumentam pressão sobre família Bolsonaro

Às vésperas de sua estreia internacional, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, o presidente Jair Bolsonaro vê seu constrangimento aumentar em solo nacional. Novos trechos de relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) lançam mais suspeitas sobre seu filho, o senador eleito Flávio Bolsonaro, que na última quinta-feira conseguiu que o Supremo Tribunal Federal paralisasse as investigações relacionadas a seu ex-assessor, Fabrício Queiroz. Documento divulgado neste sábado pelo Jornal Nacional aponta que Flávio fez um pagamento de 1.016.839 de reais de um título bancário da Caixa Econômica Federal. E, neste domingo, o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, revela que Queiroz movimentou ao longo de três anos sete milhões de reais.

As informações aprofundam uma crise de um Governo que até o momento se silencia em explicar  as suspeitas. Na última sexta-feira, um dia depois de Flávio ter conseguido a vitória no Supremo e ter dado uma entrevista à TV Record em que se defendia por ter buscado o foro privilegiado e acusava o Ministério Público do Rio de Janeiro de ter quebrado seu sigilo irregularmente, o JN já havia divulgado outro trecho do mesmo relatótio. Ele identificou uma série de depósitos parcelados em dinheiro vivo na conta do então deputado, entre junho e julho de 2017. Foram 48 depósitos, todos no mesmo valor: 2.000 reais, somando 96.000 no total. De acordo com o documento, Flávio e Queiroz têm registros de operações bancárias muito parecidos: os depósitos e saques eram feitos em caixas de autoatendimento dentro da Assembleia Legislativa do Rio, (Alerj), as operações eram em espécie e os valores eram fracionados.

A nova revelação sobre o pagamento do título de pouco mais de um milhão de reais não traz maiores detalhes. De acordo com o jornal, o beneficiário do dinheiro não foi identificado. Já o colunista Lauro Jardim, que afirma que o Coaf "sabe muito mais do que já foi revelado" sobre o caso Queiroz, diz que além do 1,2 milhão de reais movimentados entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017 - estopim da investigação, iniciada em dezembro passado - passaram pela conta corrente do ex-assessor outros 5,8 milhões nos dois anos anteriores. Ou seja, no total, Queiroz movimentou 7 milhões de reais em três anos. A suspeita do Ministério Público do Rio é de que funcionários da Alerj devolviam parte de seus salários ao então deputado. O órgão pediu ao Coaf para ampliar o levantamento sobre eles.

Até o momento, nem Flávio, nem o presidente se manifestaram sobre as novas revelações deste final de semana. E, de acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, a coletiva de imprensa que Jair Bolsonaro concederia em Davos desapareceu da programação oficial do Fórum Econômico Mundial, que começa nesta semana. A entrevista tinha sido incluída pelos organizadores do evento em seu site oficial. No entanto, não aparece mais na agenda prevista para esta terça-feira (22).

Fonte: El País

Municípios têm até maio para encaminharem documentação para atualização do Mapa do Turismo Brasileiro

Com o objetivo de atualizar o Mapa do Turismo, as Secretarias de Estados de Turismo (SETUR) recebem, até o dia 31 de maio, a documentação dos municípios. A atualização do Mapa é fundamental para que os Governos Federal e Estadual conheçam os municípios, para que possam planejar as políticas públicas necessárias ao desenvolvimento do setor.

Com foco na gestão, estruturação e promoção de forma regionalizada e descentralizada, os Estados contam com o Mapa do Turismo, em conformidade com o Ministério do Turismo. O instrumento, que é atualizado a cada dois anos, busca incentivar as administrações municipais a se organizarem e estimularem investimentos no setor.

Esta é uma ferramenta muito importante para a gestão do turismo no Estado e no País. Nossa equipe vem realizando um trabalho constante de fomento nas regiões para que as administrações se adequem às regras propostas.

As determinações para a atualização do Mapa estão contidas na Portaria da SETUR Nº 017-R e na Portaria Nº 192 do Ministério do Turismo, e devem ser cumpridas por todos os municípios. 

De acordo com as Portarias cabe ao município comprovar a existência de órgão ou entidade responsável pela pasta do Turismo; ter dotação orçamentária destinada ao turismo; comprovar a existência de Conselho de Turismo ativo no município; apresentar termo de compromisso de adesão formal ao Programa de Regionalização do Turismo e à Região Turística, assinado pelo prefeito; apresentar termo de compromisso de adesão formal ao Programa de Regionalização do Turismo e à Região Turística assinado pelo presidente do Conselho Municipal de Turismo; indicar um representante para atuar junto à Instância de Governança Regional de Turismo; e possuir um mínimo de cadastros no CADASTUR.

As formas de comprovação dos critérios estão detalhadas nas Portarias. A Portaria do Ministério do Turismo também estabelece critérios para a região, cuja comprovação cabe à Instância de Governança Regional de Turismo.


De acordo com pesquisa XP Investimentos, início do mandato de Bolsonaro tem aprovação de 40%

O governo do presidente Jair Bolsonaro tem 40% de avaliação ótima ou boa e 20% de ruim ou péssima no início do mandato, de acordo com pesquisa XP Ipespe divulgada nesta quinta-feira (17).

Outros 29% consideram o início da gestão regular, enquanto 11% não souberam opinar ou não responderam, no primeiro levantamento XP Ipespe sobre a popularidade do governo desde a posse de Bolsonaro em 1º de janeiro.

Segundo o levantamento, realizado pelo telefone com 1.000 pessoas entre os dias 9 e 11 de janeiro, a expectativa para o restante do governo é ainda mais positiva. Para 63%, Bolsonaro fará um mandato ótimo ou bom, enquanto 15% consideram que será negativo.

A pesquisa apontou que 62% aprovam a montagem do governo e as primeiras medidas anunciadas, contra 29% que desaprovam, e mostrou que a maioria da população (58%) defende que as primeiras medidas enviadas ao Congresso tratem sobre segurança pública.

O levantamento apontou ainda que 37% tem uma avaliação negativa do novo Congresso Nacional, que tomará posse em 1º de fevereiro, enquanto 34% o consideram regular e 17% disseram considerar ótimo ou bom.

A pesquisa foi preparada pela XP Investimentos em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), e tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais.

Fonte: Terra.com

Tesouro Nacional recomenda corte de despesas com pessoal e privatizações para RN melhorar capacidade de pagamento

Em relatório enviado ao Rio Grande do Norte, o Tesouro Nacional recomendou que o governo evite aumentos ou até promova corte de despesas com pessoal, além de privatizar empresas estatais, para que possa conseguir garantias da União em empréstimos, por exemplo.

O "Guia para o Governador", assinado pelo ministro Paulo Guedes, apresenta uma situação do estado em relação às dívidas e metas anuais, as operações de crédito com o governo federal, além da nota sobre capacidade de pagamento. Relatórios específicos para cada estado foram enviados nesta semana aos governadores empossados no início do mês.

"O documento traz as principais questões que devem ser objeto de atenção por parte dos administradores do Estado, de forma a contribuir para o planejamento e a gestão do novo governo", disse o Terouso Nacional. "Também sugere uma lista de avanços a serem capitaneados pelos novos gestores, de forma a melhorar o contexto fiscal, financeiro e informacional do seu Estado".

De acordo com o relatório, o Rio Grande do Norte está com classificação "C" na capacidade de pagamento (Capag), o que dificulta a aquisição de empréstimos com garantias da União, junto aos bancos. O índice é composto por três pontos. Em Endividamento, o RN está com a melhor classificação, a "A". Entretanto, quanto aos outros dois pontos - poupança corrente e liquidez - o estado obteve classificação "C".

"O Estado precisa melhorar seus indicadores para melhorar seu rating (avaliação) e, consequentemente, ser elegível para contratar operações de crédito com garantia da União", informou o relatório. Desde 2017, o estado tenta um empréstimo de R$ 698 milhões com a Caixa Econômica Federal, lembra o estudo.

As propostas enviadas foram:
  • Suspender novas contratações;
  • Pagar precatórios;
  • Privatizar estatais;
  • Aumentar alíquotas de impostos;
  • Modernizar a máquina arrecadatória;
  • Reduzir incentivos fiscais;
  • Reduzir despesas de pessoal;
  • Reduzir outras despesas correntes;
  • Reduzir investimentos fiscais;
  • Utilizar receitas oriundas de concessões;
  • Desvincular receitas;
  • Melhorar gestão de caixa;
  • Evitar acúmulo do Restos a Pagar (RAP).

Previsão de chuva forte para o Nordeste neste final de semana

As áreas de instabilidade ainda crescem sobre o Nordeste e vão provocar mais chuva ao longo desta sexta-feira (18). O tempo segue mais instável pelo litoral norte da Região, mas o interior também estará sujeito à fortes pancadas de chuva. 

As nuvens carregadas estão conseguindo se formar pela presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e pelos ventos que sopram do oceano. O céu fica com muita nebulosidade no norte do Maranhão, litoral do Piauí, em quase todo o estado do Ceará e do Rio Grande do Norte. A chuva acontece a qualquer hora com alerta para temporais. 

Os ventos encontram o calor do Sertão e isso também vai facilitar a ocorrência de nuvens de chuva. O sol aparece mais forte pelo interior, mas há previsão de pancadas de chuva com raios entre à tarde e a noite. Há chance de chuva forte no interior do Maranhão, do Piauí, do Ceará, do Rio Grande do Norte, da Paraíba e de Pernambuco. "Nesta sexta-feira, a chuva pode ser considerável e cair forte em áreas do Sertão", afirma o meteorologista Daniel Orlandi.

Já o litoral leste nordestino, continua com chuva passageira por conta da brisa que sopra do mar. O sol predomina e a chuva é rápida, no máximo moderada, entre o litoral da Paraíba e da Bahia, inclusive nas capitais. 

Já o interior da Bahia permanece sem chuva. A massa de ar seco que vem predominando sobre o estado ainda vai afastar a possibilidade de chuva nesta sexta e por mais alguns dias. 

Fim de semana 
As pancadas de chuva vão continuar durante o fim de semana e a tendência será da instabilidade também na costa leste do Nordeste.  No domingo (20), as capitais Natal (RN), João Pessoa (PB) e Recife (PE) poderão ter chuva forte. 

Fonte: Climatempo

Passados 17 dias de gestão Fátima Bezerra, Secretaria de Saúde continua sem titular; hospitais também sofrem com falta de direção

O professor universitário Cipriano Maia, anunciado como secretário de Saúde (Sesap) do governo Fátima Bezerra, ainda não foi liberado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde tem vínculo, e, com isso, a Secretaria de uma das principais áreas continua sem titular.

Já se passaram 17 dias e apesar de anunciado, Cipriano não é oficialmente secretário do Estado e o Governo apenas aguarda que a parte burocrática da lideração da UFRN tenha um desfecho rápido.

E o problema é ainda maior. Não é apenas administrativo dentro da pasta. O problema também atinge alguns hospitais. Os principais do Estado estão sem diretor, incluindo o Walfredo Gurgel, o maior do Rio Grande do Norte.


Uma das peças importantes na campanha, Alexandre Motta é escanteado do Governo e está insatisfeito com Fátima Bezerra

Uma das peças mais importantes da campanha de Fátima Bezerra, inclusive, com papel fundamental no segundo turno, o médico Alexandre Motta, que foi candidato a senador pelo PT, tem externado sua insatisfação com a governadora para muitos correligionários.

Alexandre Motta teve um papel fundamental no segundo turno. Ele foi um dos principais a aparecer publicamente para ir para cima dos adversários e para blindar a imagem de Fátima. Além disso, ele encerrou a campanha com uma votação expressiva de mais de 242 mil votos, que tiveram uma extrema importância na eleição da governadora. Mesmo assim, ele não foi chamado para ocupar qualquer cargo no Governo.

Vale lembrar que até anunciar Cipriano Maia como titular da pasta de Saúde Pública (Sesap), o nome de Alexandre era um dos principais nomes especulados para assumir a Secretaria. Por enquanto, ele segue escanteado e externando sua insatisfação com a companheira de partido 

Nos bastidores, ministros do STF se surpreendem com pedido de Flavio Bolsonaro no caso Queiroz

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ouvidos pelo blog, em caráter reservado, se disseram surpresos com a decisão do ministro Luiz Fux suspendendo temporariamente o caso envolvendo o ex-assessor Fabricio Queiroz, que trabalhou para o senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ).

Mas, mais do que isso, apontaram surpresa com o pedido feito por Flavio Bolsonaro, uma vez que ele não é investigado – apenas citado no inquérito do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de Queiroz.

O ministro Fux atendeu a um pedido do senador eleito que, por ter foro privilegiado, quer que o caso seja julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Queiroz não tem foro.

Quem vai decidir sobre o caso é o ministro Marco Aurélio Mello, relator, mas a discussão pode acabar na Primeira Turma da Corte, por se tratar de um senador.

Um dos ministros da Corte ouvidos pelo blog afirmou considerar o pedido do Flávio Bolsonaro um “erro”, porque agora a questão será avaliada pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Na avaliação desde ministro, a procuradora será obrigada a pedir a ampliação da investigação, porque os fatos também envolvem o presidente Jair Bolsonaro. Para ele, era melhor para a família o caso seguir na primeira instância, onde há uma limitação para ampliar o escopo por conta do foro privilegiado.

Esse ministro considera que Raquel Dodge terá de pedir para analisar a questão dos depósitos na conta de Michele Bolsonaro. Jair Bolsonaro disse que o dinheiro se refere ao pagamento de uma dívida de Queiroz. Pela Constituição, o presidente não pode ser processado por fatos anteriores ao mandato, mas pode ser investigado.

A avaliação é que o ministro Marco Aurélio, que é o relator, vai instigar essa ampliação da investigação.

Fonte: G1


Secretário anuncia entrega de 350 toneladas de sementes a 52 mil agricultores do RN

O secretário estadual de Agricultura, Guilherme Saldanha, garantiu que, a partir de 15 de fevereiro, 350 toneladas de sementes de milho, feijão e sorvo serão distribuídas a 52 mil agricultores na região do Mato Grande e no Alto-Oeste, onde os agricultores serão contemplados com o arroz vermelho.

Segundo Saldanha, este ano será marcado por diálogo ainda maior com setor produtivo de todo o Estado. Ele disse ainda que estudos feitos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) mostram que haverá mais precipitações pluviométricas e que o estado de seca agravado nos últimos sete anos deverá ser amenizado.

Saldanha apontou, ainda, a aprovação da lei dos queijos artesanais como uma grande vitória para o setor primário potiguar, principalmente porque as empresas diminuíram os custos para garantir o selo que garante comercialização. Antes da lei, esse custo girava em torno de R$ 500 mil e agora está em apenas R$ 30 mil. “Agora será a vez da carne ter este selo que garante a comercialização. Estamos trabalhando para isso”, acrescentou Saldanha, que participou do programa A Hora é Agora, apresentado por Renato Dantas, na rádio Agora FM (97,9).

Outra novidade anunciada pelo secretário de Agricultura está relacionada ao algodão colorido, que tem um valor de mercado sete vezes maior que o tradicional. De acordo com Guilherme Saldanha, este algodão – com tingimento natural e, que, não precisa de corante – está sendo plantado no Rio Grande do Norte e que em pouco tempo voltará a ser destaque na produção agrícola.

Saldanha disse ainda que este ano a Ceasa – Central de Abastecimento do Rio Grande Norte – passará por uma transformação com a finalidade de beneficiar a quem faz compras e quem comercializa no local, que hoje precisa de organização e uma reforma. Na questão pesqueira, Saldanha informou que já iniciou as conversas com a Ministra da Agricultura, Teresa Cristina, para que o governo federal passe o controle do terminal para o Estado.


Decreto elaborado pelo ministro Moro sofreu sete alterações no Palácio do Planalto

O decreto que flexibiliza a posse de armas, editado pelo presidente Jair Bolsonaro, tem ao menos sete diferenças em relação à minuta elaborada pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro. 

Embora não tenha dado declarações na cerimônia de assinatura do texto, soube-se, nos bastidores, que as divergências teriam chateado o ministro. A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comprovação de cofre para artefatos, e não a mera declaração.

Na versão de Moro, era possível negar o pedido de registro com base em “fundadas suspeitas” de informações falsas ou de ligação com grupos criminosos. No texto final, só é negada a solicitação se houver comprovação desses pontos.

Veja mais AQUI.

"O MITO CHEGOU": Flávio Bolsonaro pede, e STF suspende investigação sobre Queiroz

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), acatou um pedido do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e suspendeu nesta quarta-feira (16) a investigação criminal do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro que apura movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio. 

A decisão é uma liminar, isto é, foi tomada em caráter provisório, e deverá ser analisada pelo relator da reclamação na corte, ministro Marco Aurélio Mello, quando ele retornar do recesso judiciário, em 1º de fevereiro. Durante o plantão, Fux, vice-presidente do STF, é o único a deliberar sobre os processos no Supremo.

Os argumentos usados no recurso e na liminar não foram revelados, porque o procedimento tramita em segredo de justiça. A decisão acontece dois dias após o procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, dizer que Queiroz poderia ser denunciado mesmo sem depor no inquérito --o ex-assessor faltou duas vezes a depoimentos do Rio e, em razão de tratamento médico, não tinha previsão para ser ouvido.

A reportagem do UOL entrou em contato com a assessoria de imprensa de Flávio Bolsonaro, que disse que não há previsão de um comunicado à imprensa. Também procurada, a defesa de Queiroz informou que só se posicionará após ter acesso ao processo. Pelo fato de o recurso tramitar sob sigilo, o MP informou que não se manifestará sobre o mérito da decisão.

Do blog: Graças a Deus o "Mito" chegou para acabar com a corrupção!!

 
Copyright © 2010-2013 Blog do Gilberto Dias | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento » RONNYdesing | ronnykliver@live.com - (84)9666-7179